Como compreender e identificar seus padrões pessoais, estruturais e interpessoais

Evolução
remove_red_eye 60
date_range 29/07/2019
chat_bubble 0

Quanto a você?

Se você quer recarregar o seu grupo, seja ela uma família, uma empresa ou uma comunidade, precisa primeiro compreender e identificar seus padrões pessoais, estruturais e interpessoais. Juntos, esses padrões criam a cultura singular e a personalidade de um grupo. Se esse grupo tem uma hierarquia, então alguns padrões pessoais e interpessoais poderão ser ampliados.



O campo energético do grupo como um todo vibra no nível criado e permitido pelo que chamo de “circuito dos padrões. Cada padrão significativa afeta a energia que passa pelo campo coletivo da mesma maneira que os amplificadores, transistores, resistores e diodos afetam a energia que passa por um circuito. Os elementos de um circuito podem amplificar, dissipar e modular a energia que circula por ele.

Se os elementos ou padrões de um campo coletivo se alinham com a característica da energia, eles aumentam a energia no grupo. Se houver um padrão disfuncional, o campo de energia será diminuído. Assim, você pode aumentar o nível de energia e tornar o circuito do grupo mais eficiente ao modificar um padrão disfuncional primário. Para alcançar uma zona de alta freqüência, os padrões primários precisam estar mui- to alinhados com a natureza da energia.



Para fazer isso, primeiro temos de reconhecer os filtros na nossa própria percepção que freqüentemente nos impedem de enxergar os padrões. Muitos de nós também precisamos acordar de um transe cultural que pode resultar na nossa participação inconsciente em padrões disfuncionais.

Depois que compreender a principal dinâmica da energia em ação em seu campo coletivo, você será capaz de identificar quais padrões aumentam a energia e quais sugam a energia.

Padrões Pessoais

Sempre que as pessoas se envolvem em atividades coletivas, elas envolvem as suas personalidades, o que expressam em seus padrões comportamentais. O nível de preocupação de uma pessoa com os outros, por exemplo, será perceptível nas suas ações. Ela será uma boa ou má ouvinte, sensível ou insensível, afirmativa ou passiva, habilidosa ou inábil. Esses são seus padrões pessoais de comportamento.

Padrões Estruturais

Se a atividade coletiva é organizada formalmente, então há também uma estrutura, um modelo no qual os membros do grupo conectam suas personalidades e seus padrões comportamentais. Todos buscamos uma ordem estrutural para melhorar a confiabilidade, a qualidade, a eficácia e a eficiência das nossas interações.

Numa empresa, por exemplo, as estruturas são bastante concretas, uma vez que somos levados a ter um relacionamento formal com pessoas que antes nos eram estranha. Idealmente, a estrutura empresarial não é apenas uma divisão de trabalho, mas uma integração de trabalho e papéis dentro de um todo coerente. Gráficos organizacionais, reuniões pré-agendadas, tarefas e metas ajudam a direcionar as interações.

As estruturas do grupo também podem ser informais e sutis, embora ainda guiem o nosso comportamento. Pense, por exemplo, na estrutura do Jantar familiar ou no encontro social de uma igreja. Pode haver estruturas sutis dentro de uma estrutura formal. Sem estrutura, qualquer família, equipe, organização ou comunidade espalharia sua energia como um liquidificador sem tampa.

Padrões Interpessoais

Interações dentro do campo coletivo formam padrões interpessoais. Quando interagimos, começamos a formar opiniões. Podemos ouvir fofocas, exageros ou interpretações dos comportamentos alheios. Começamos a acreditar em algumas coisas a respeito dos outros. Histórias de heroísmo ou da natureza bondosa de alguém afetam a nossa percepção dos outros de forma positiva. Facilmente construímos caixas negativas ao redor das pessoas.

 Se um número suficiente de pessoas num grupo vê com freqüência a mesma caixa negativa em torno de alguém, o grupo acaba preso a uma perspectiva predeterminada. Um exemplo: você ouve uma fofoca de que a mulher que trabalha no final do corredor é estranha e não gosta de cooperar. Você começa a vê-la de um jeito diferente. Você não confia nela. Então outras pessoas começam a sentir a mesma coisa, e logo a desconfiança faz parte do circuito do seu grupo.

 As pessoas se ligam a um padrão interpessoal de se fecharem para ela. Colocam-na dentro de uma caixa negativa. Mesmo que a fofoca original seja falsa, o padrão interpessoal é verdadeiro.

Assim, os padrões pessoal, estrutural e interpessoal podem ser tramados no circuito dinâmico da cultura de um grupo.



Posts relacionados
Abrindo e Fechando a Janela da Tolerância
Abrindo e Fechando a Janela da Tolerância Quando as nossas janelas da tolerância estão abertas, passamos por
A Criação Pessoal: “Seu desejo é Minha ordem.”
A Criação Pessoal: “Seu desejo é Minha ordem.” A Verdade Não Dita é um desafio direto para cada uma das ideias