Michel Temer é denunciado novamente! Povo pede intervenção militar!


A aprovação do Presidente Michel Temer [VIDEO] só cai. Em pesquisa de opinião, alcançou 77% de reprovação, e somente 3% aprovam sua atuação. Desde 2016, Temer tem tentado diversas manobras econômicas, alegando tentar tirar o país da crise. Foi cogitado que renunciasse ao cargo, mas em pronunciamento negou.

O ex-procurador da República Rodrigo Janot postulou denúncia contra Temer em Setembro deste ano. Ontem, o presidente da Comissao de Constituiçao e Justiça, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) anunciou que manterá denuncia contra o presidente e seus ministros Eliseu Padilha, da casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria Geral. Esta é a segunda denúncia lançada pela mesa diretora contra Michel Temer.

Já a Câmara tem pressa [VIDEO]em votar a denúncia envolvendo o presidente, a qual o acusa de organizar o “Quadrilhão” – grupo que teria beneficiado através de acordos fiscais e contratos, empreiteras como a Odebrescht e a frigorífica JBS, em troca de propina e dinheiro de campanha a parlamentares.

Anteriormente, a primeira denuncia contra o presidente foi aprovada pelo Supremo Tribuna Federal que enviou para ser votada na Câmara dos deputados, onde se decidiu pelo arquivamento da denuncia. Por isso, o ministro Edson Fachin decidiu por enviar a nova denuncia, e decidiu por recusar um pedido de defesa do presidente.

Caso o relatório passe em votação pela Câmara dos Deputados, a denúncia contra o Presidente Michel Temer ainda precisará ser aprovada em plenário no Senado Federal. Assim a defesa de Temer começa a elaborar novos argumentos e estratégias enquanto a câmara entra em período de recessão, mas terá como obstáculo a oposição que não quer cair na mesma decisão da primeira denuncia

43% dos brasileiros pede intervenção militar
Apenas 51% dos brasileiros não querem #Militares em uma intervenção temporária, e 5% não souberam opinar.

É o que diz pesquisa do Instituto Paraná de Pesquisas, que em 2016 fez a mesma pesquisa, apontanto para 35% o numero de apoiadores ao regime militar provisório.

Após falas do General Antonio Mourão sobre a possibilidade da ação do Exército em uma eventual interferencia política, as redes sociais têm recebido muitas falas de apoio à esta mudança. Quanto ao evento, O Ministro da Defesa Raul Jungmann não falou em punições, e nem o Ministro do Exército, General Villas Bôas. O que se vê, no entanto, é um movimento também interno ao Exército de apoio a Mourão, como o General Augusto Moreno, ex-comandante das tropas no Haiti. #presidencia

Faça Parte, Acompanhe:

Participe! Deixe seu Comentário, Curta e Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *